Mole

vídeo / 5'43'' / cor / som / 2020

As narrativas de uma criança que passa os dias em 1989 conversando com um gravador de fita K7 viram a trilha de um palhaço que chora incessantemente encarando o observador. Um troféu de sensibilidade na espetacularização da tristeza, fraqueza e moleza. O palhaço como antítese da felicidade, mole, casca de ovo, chorãozinho.

2022. Festival de C4nn3$. Casa de Cultura Mário Quintana. Porto Alegre/RS. 

2022. O Muito que sobrou. Vila Cultural Cora Coralina. Goiás/GO.

2021. Acropolis Remix pavilion at The Wrong Biennale nº5 (on-line). 

2021. Gira Circuito Itinerante de Performances (on-line).